quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Passarelas pré-fabricadas de concreto - Infraestrutura Urbana

As passarelas são estruturas destinadas a pedestres, geralmente instaladas sobre rodovias, vias expressas e ferrovias com o objetivo de evitar acidentes e manter a velocidade do tráfego dos veículos. É recomendado que suas rampas de acesso tenham início e fim em pontos de atração natural, como cruzamentos de ruas, e áreas de maior fluxo, como fábricas, escolas etc. O uso de peças pré-fabricadas torna a execução das passarelas mais rápida, evitando a interdição das vias - quando já existentes - por longos períodos. Entre diversas soluções para a sua construção, pode-se usar, por exemplo, uma estrutura metálica, muito recomendada para vencer grandes vãos. Opção viável e bastante comum empregada em passarelas são os elementos pré-fabricados de concreto.


1) Fundação
A infraestrutura, que forma a base de sustentação, pode ser executada em fundação direta com a construção de sapatas. Um estudo geológico determina os tipos de fundação viáveis. As sapatas podem ser pré-fabricadas ou moldadas in loco. Sobre elas, são executados os pilares que vão sustentar as vigas e lajes que formarão o tabuleiro da passarela. O DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) exige 5,5 m de altura livre sobre rodovias. Quando a passarela é construída sobre via férrea, a altura livre mínima é determinada pela concessionária da ferrovia.
2) Pilares e vigas
Os pilares pré-fabricados de concreto armado são geralmente moldados em formatos quadrado, retangular ou cilíndrico. As vigas contínuas podem ser apoiadas diretamente sobre eles. As mais usadas em passarelas são as vigas de seção "I", que também podem ser pré-moldadas.
3) Tabuleiro
Entre as soluções pré-fabricadas, os tabuleiros de concreto substituem os metálicos para pequenos e médios vãos, com a vantagem de um custo menor. Eles são apoiados nas vigas pré-moldadas, sustentadas pelos pilares. As lajes do tabuleiro devem ter, no mínimo, 12 cm de espessura (NBR 7187). O tabuleiro deve contar com tubulações para escoamento de águas pluviais com diâmetro mínimo, segundo o DER/SP, de 76,2 mm. Para vãos maiores, em que não se deseja ou não é necessário o uso de uma estrutura metálica, a passarela pode ainda contar com uma solução estaiada ou pênsil. Segundo instruções de projeto do DER/SP, devem ser comparadas duas soluções alternativas e viáveis técnica e economicamente - a solução escolhida deve ser a de menor custo por metro quadrado de tabuleiro.
4) Guarda-corpo
O guarda-corpo das passarelas pode ser feito de peças com geometria simples, as quais também podem ser pré-fabricadas em concreto, na altura de 90 cm a 100 cm. Para vãos maiores, em que não se deseja ou não é necessário o uso de uma estrutura metálica, a passarela pode ainda contar com uma solução estaiada ou pênsil.
5) Acessibilidade e largura
As passarelas de pedestres devem ter rampas, rampas e escadas, rampas e elevadores ou escadas e elevadores para sua transposição, conforme dita a norma de acessibilidade NBR 9050. Essa norma limita a inclinação da rampa de 5% a 8,33%. A largura da passarela é determinada em função do volume de pedestres estimado para os horários de maior movimento, conforme fórmula da mesma norma.

Fontes: DER/SP (Departamento de Estradas de Rodagem de São Paulo) e DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes).



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário